30 de jul de 2010

“Doe Palavras”

Visitando meu querido amigo Ronaldo Costa, do blog Qualiblog acabei encontrando uma dica nota 1.000. Por isso, fiz questão de roubar o seu post na íntegra.

Vejam que ideia legal. Não custa nada e qualquer um pode participar e lógico, ajudar e muuuuuito. Eu já o fiz. Façam  também. E quem puder, poste no seu blog, ok?

“Conheci hoje um projeto interessante: o Doe Palavras, do Instituto Mário Penna. Conheci e logicamente participei! As melhores idéias geralmente são as mais simples, e o Doe Palavras não foge a esta regra.

Pense bem: Nos momentos difíceis da sua vida ou da carreira, quantas vezes não foi uma palavra de conforto, de encorajamento ou de apoio que te ajudou a erguer a cabeça e continuar a caminhada? – E muitas vezes essa palavra foi dita por um desconhecido, ou por alguém que você nem imaginava capaz de te ajudar…

image 

A equipe do Intituto Mário Penna vive isso diariamente. Segundo eles, muitas vezes o que os pacientes mais precisam é de ouvir as palavras certas: mensagens positivas de amor, esperança e força que os encoragem a continuar a batalha contra o câncer. Esse é o objetivo do projeto:  usar a inteligência coletiva para gerar um grande fluxo de mensagens do bem direcionando-o aos pacientes em tratamento.

Para enviar uma mensagem você pode entrar no site do projeto (www.doepalavras.com.br) ou enviar através do Twitter (http://twitter.com/doepalavras), nesse caso não se esqueça de incluir a hashtag #doepalavras.

As mensagens enviadas serão exibidas em TVs nos hospitais do Instituto Mário Penna (Hospital Mário Penna, Hospital Luxemburgo e Casa de Apoio Beatriz Ferraz), nos lugares onde os pacientes mais precisam de apoio, como na sala de quimioterapia, por exemplo.

Depois, as mensagens compiladas no projeto vão ser incluídas em um livro, que será doado para vários hospitais.

A única coisa que você vai gastar é um pouquinho do seu tempo, para sentir a satisfação de ter ajudado um semelhante e de quebra ainda exercita um pouco a mente…”

Um comentário:

  1. Querida Mayra,
    Que bom encontrar notícias como estas por aqui.
    Só que neste caso, eu fui a primeira beneficiada.
    Realmente, as palavras funcionam como remédio.
    Se não for mais.
    Digo por experiência porque por motivos de saúde, muitas vezes o que me faz levantar é a "palavrinha" generososa e inocente de ânimo que os meus filhos me dão.
    Que isso sirva de estimulo para ajudar os outros.
    Beijos. Ah. conheci sua mãe.
    Deixe um beijo a ela

    ResponderExcluir

Oba! Que bom que esteve por aqui dando uma especulada no meu cantinho. Esteja à vontade e volte sempre.
Só não serão publicados comentários anônimos.
Beijos!

BlogBlogs.Com.Br