11 de mai de 2010

Gostos que mudam com a economia

cao_bebe

1) Moda: os estudos mostram que as mulheres costumam se vestir de maneira mais jovial – usando saias curtas e muito brilho – quando a economia está crescendo. Já quando os tempos estão difíceis, elas se vestem de forma mais madura. Os estudos foram publicados no Boletim Personality and Social Psychology em 2004)

2) TV: a programação da TV também parece refletir nossa agitação interior em épocas de crises. Os estudioso avaliam que quando a coisa não anda muito bem, séries mais realistas e complexas como “ER” e “Lost” se tornam ainda mais populares. Já com a retomada da economia, é a vez das séries mais leves, como “The Big Bang Theory” e “Desperate Housewives”. O estudo foi publicado na revista Media Psychology, em 2000.

3) Cães: pelos registros de cães desde os anos 1920, os investigadores observaram que as preferências desses animais também seguem a dança da economia. Quando os tempos estão difíceis, as pessoas são atraídas para raças mais fortes, como pastores alemães e Dobermann, os estudos sugerem. Mas, nos tempos mais alegres, os cachorros pequeninos se tornam moda. A descoberta foi reforçado por um estudo publicado na Journal of Personality and Social Psychology em 1991.

4) Igreja: os pesquisadores avaliaram as taxas de conversão e os números de membros de igrejas americanas desde a década de 1920 e encontraram uma preferência para igrejas mais autoritárias – como Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e Testemunha de Jeová. Já em períodos menos estressantes economicamente, o grande sucesso dos domingos eram as igrejas com atitudes mais liberais. Os dois últimos grandes estudos sobre o tema foram publicados no Personality and Social Psychology Bulletin, em 1999.

5) Música: como na audiência da TV, um estudo sugere que as pessoas preferem ouvir músicas mais lentas em tempos de crises. Já quando tudo está certo no mundo ecônomico, elas recorrem a músicas mais alegres – o estudo é recente e foi publicado no Jornal da Linguagem e Psicologia Social e Psicologia da Música em 2009.

Mas, será que algum pesquisador saberia explicar a popularidade de “Red Label ou Ice” em épocas boas ou más para a economia?

Um comentário:

Oba! Que bom que esteve por aqui dando uma especulada no meu cantinho. Esteja à vontade e volte sempre.
Só não serão publicados comentários anônimos.
Beijos!

BlogBlogs.Com.Br